Mulheres chefes de facção investigadas pela Polícia Federal em RR são presas em SP

Dupla seria responsável por coordenar ala feminina de facção na região Norte, que foi alvo de operação que ocorreu no início de fevereiro.

Drogas e quantia em dinheiro apreendidos no apartamento em que a dupla estava Divulgação/Polícia Federal Duas mulheres chefes de facção que são investigadas pela Polícia Federal de Roraima foram presas em Guarulhos, em São Paulo na manhã desta quinta-feira (20).

Elas seriam as responsáveis por coordenar a ala feminina da facção na região Norte e foram presas por tráfico de drogas e associação para o tráfico. Elas viviam em São Paulo a cerca de um ano desde que fugiram do Mato Grosso do Sul depois de serem condenadas pela Justiça.

No entanto, as prisões foram cumpridas a partir de mandados de prisão expedidos pela Vara de Entorpecentes e Organizações Criminosas de Boa Vista.

A dupla foi alvo da "Operação Lâmpades", que ocorreu em 7 de fevereiro e cumpriu 14 mandados de prisão preventiva e 13 mandados de busca em Roraima, Acre e São Paulo contra mulheres que integravam a facção. As investigações apontaram que as mulheres eram responsáveis por atuar de forma estratégica dentro da facção.

Elas atuavam no controle e guarda de drogas e armas de fogo, bem como participam dos "tribunais do crime". A PF encontrou um foragido do sistema prisional que estava em um apartamento com a dupla.

O homem tinha sido beneficiado com uma saída temporária de Natal e não retornou à unidade prisional onde cumpria pena. No apartamento que o grupo estava foram encontrados e apreendidos porções de cocaína e maconha, R$ 13 mil e diversos aparelhos celulares. Os três foram encaminhados a Superintendência da Polícia Federal em São Paulo para que sejam cumpridos os procedimentos cabíveis.

Aparelhos celulares apreendidos com o trio Divulagação/Polícia Federal
Categoria:Roraima