Prefeitura promove reunião para solucionar problemas do Residencial Maria de Fátima Freire

No intuito de favorecer soluções envolvendo problemas comunitários existentes no Residencial Maria de Fátima Freire, entregue em Arcoverde em agosto do ano passado, por intermédio do programa 'Minha Casa, Minha Vida',  a prefeita Madalena Britto esteve reunida na manhã desta terça-feira, 08 de maio, com representantes de moradores da comunidade, secretários municipais e vereadores. A reunião, realizada na sede da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, também contou com representante da Construtora Arquitec, responsável pela conclusão do conjunto, além da Compesa, da Celpe, Banco do Brasil e do Instituto Travessia, empresa escolhida por licitação para iniciar trabalhos sociais na localidade.

 

Abrindo as explanações, com intermédio do controlador geral interno do município, Aldenio Costa Ferro, a prefeita Madalena Britto falou um pouco sobre os desafios encontrados pela gestão municipal na localidade, e que tem se tornado queixas frequentes em seu gabinete e nas secretarias municipais presentes na ocasião. "Hoje nós estamos reféns de um grande problema que é o residencial. Quando nós pensamos em construir o mesmo em Arcoverde e fomos diversas vezes a Brasília, em busca de recursos para possibilitar a oportunidade de moradia para a população que realmente precisava, tínhamos o sonho de constituir um conjunto habitacional que atendesse as necessidades dessa camada da população e se tornasse um condomínio de família, onde todos se ajudassem e tivessem uma boa convivência”, frisou Madalena.

 

“Isso não vem acontecendo e nos entristece bastante, porque aquele sonho que tivemos lá atrás não está sendo como realizado como desejamos. Mas hoje, com nossas representações aqui presentes, acredito que daqui sairão alguns encaminhamentos e quem sabe teremos o grande sonho realizado mais a frente, que é ver ali famílias que realmente necessitam de casas próprias, com a paz e com tudo o que elas merecem”, concluiu a gestora do município.

 

Posteriormente, os vereadores Siqueirinha, Cleriane Medeiros, Luiza Margarida, Célia Almeida Galindo e Cybele Roa defenderam seus posicionamentos com as principais queixas da comissão de moradores, contando também com a participação de representantes do Movimento Nacional de Luta pela Moradia (MNLM), presentes na reunião.

 

Entre os principais problemas expostos, foram elencadas invasões de casas que ainda não tiveram a regularização dos contratos com os seus beneficiados; trechos de calçamentos e asfalto com danificações em vias do residencial; funcionamento precário da caixa de água para diversas quadras do conjunto; rede de esgoto com retorno de água para residências e sendo frequentemente entupida; falta de vigilância com eficiência local; fissuras de paredes nas casas entregues aos beneficiados do programa, assim como infiltrações e fechaduras de portas com defeito; postes de iluminação pública que não funcionam durante a noite em diversos trechos e contas de luz com valor exorbitante, mesmo para quem se cadastrou como baixa renda na companhia energética.

 

Os representantes da Prefeitura de Arcoverde, Arquitec, Compesa, Celpe e do Banco do Brasil se pronunciaram em seguida, apontando soluções que serão tomadas em conjunto com a comissão de moradores. As secretárias municipais Regina Manzi (Assistência Social) e Patrícia Cursino Padilha (Educação e Esportes), também se posicionaram sobre assuntos como a distribuição das casas por meio de sorteio promovido pela prefeitura, abordando pontos como a transparência do processo e a fiscalização das famílias contempladas pelo programa no município. A reunião também possibilitou momento para a explicação de dúvidas da comissão de moradores sobre contratos realizados com a Caixa Econômica e o Banco do Brasil.

 

O Instituto Travessia, que deve começar o cronograma de reuniões com a comissão da comunidade na próxima semana, apresentou a sua proposta de trabalho e esclareceu dúvidas sobre as contratações que serão realizadas para composição da equipe. A iniciativa objetiva oportunizar a conscientização aos moradores envolvendo eixos ambientais, de cidadania e de participação ativa na vida da comunidade.

 

“Em momento algum nós estivemos acomodados. Acredito que tudo tem o seu momento certo e a partir de agora nós vamos agir para que tudo o que aqui foi exposto sobre o Residencial Maria de Fátima Freire tenha solução. Estamos de cabeça erguida, trabalhando por Arcoverde e até 2020 estarei à frente dos nossos trabalhos e das nossas secretarias. Temos sim falhas, como todos os municípios possuem, mas iremos enfrentar todos os desafios que ainda virão”, pontuou a prefeita Madalena Britto ao final do encontro.    

Categoria:O Sertão do Moxotó é Notícia

Deixe seu Comentário